16/9/2020

Carta de Boas-vindas


Não há dúvida de que o futuro pós-pandemia será desafiador. O impacto dessa crise, visto a partir de uma perspectiva sistêmica evolutiva, abre a possibilidade única de um aprendizado histórico.Dependendo das escolhas, podemos não apenas superar a pandemia, mas nos direcionarmos para um futuro melhor.

 

Vários profissionais, com formações distintas,concordam que o coronavírus será um acelerador do futuro, antecipando mudanças que já estavam em curso, como o trabalho remoto, a automação, a educação a distância, e a cobrança por parte da sociedade para que profissionais e empresas sejam mais responsáveis do ponto de vista social. Outras mudanças, que já estavam sendo gestadas, mas não eram tão perceptíveis ainda, agora ganham novo sentido diante da revisão de valores provocada por uma crise sanitária sem precedentes para a nossa geração. 

 

Quais são os novos desafios? Quais as tendências? Quais as oportunidades para nós, radiologistas?

 

O controle da COVID-19 ainda parece distante. Mas,independentemente disso, agora é o momento de começar a enfrentar a "nossa realidade" e planejar o futuro da prática médica e radiológica para quando essa crise se dissipar.

 

Inovações tecnológicas já estão mudando mercados e indústrias relacionadas e, entendemos que, para nós, radiologistas, fazermos frente aos novos desafios, temos que aproveitar as tecnologias digitais e exponenciais, que podem abrir novas fronteiras para cuidados com a saúde mais efetivos e acessíveis.

 

A ideia do “radiologista invisível” engolido pela tecnologia provou ser falsa durante essa pandemia, como observa Geraldine McGinty, MD, MBA, presidente do American College of Radiology. À medida que a inteligência artificial avança, levará os radiologistas a um papel mais amplo, mais consultivo, um papel de"organizadores de dados" como define Tarik K. Alkasab, MD, PhD, service chief de informática/TI & operações na Harvard Medical School. “Acho que uma das coisas mais valiosas para nós, radiologistas, é que, à medida que o modelo econômico de saúde muda, isso nos dará uma oportunidade também de mudar, de demonstrar exatamente como estamos agregando valor aos cuidados de nossos pacientes”, acredita ele.

 

Os algoritmos continuarão a evoluir, poderão ser capazes de identificar anormalidades em qualquer modalidade, com precisão e rapidez. Nenhum radiologista, por melhor que seja sua formação e sua acuidade visual, será capaz de superar essas máquinas. Por outro lado, algoritmos ajudarão os radiologistas a dar o próximo passo, ir além da simples interpretação de imagens, para se tornarem verdadeiros parceiros na condução dos casos clínicos, conforme discutido no Imaging 3.0. “Os futuros radiologistas serão muito melhores do que os radiologistas de hoje por causa das máquinas, não apesar delas”, prevê Arun Krishnaraj, MD,MPH, professor e chefe da divisão de Imagem da Virginia University.

 

“A radiologia está deixando de simplesmente produzir belas imagens para realmente se tornar parte integrante da medicina.” -destaca o Professor Paul Parizel, Chaiman do Departamento de Radiologia da Western Australia University e convidado de honra da abertura do CBR2020.

 

Nós, do Colégio Brasileiro de Radiologia,entendemos que nosso ecossistema precisa incorporar estes recentes avanços e transformá-los em soluções significativas, com potencial de impactar a saúde da população. Devemos começar a definir, imediatamente, nosso valor, não pela eficiência e rapidez com que identificamos achados nas imagens, mas sim por quão eficazes somos na promoção de cuidados apropriados,melhorando a experiência do paciente, capacitando e educando-os sobre a importância do diagnóstico de imagem em seus cuidados de saúde. Aqui, nos permitimos citar novamente Arun Krishnaraj, quando este reforça que precisamos "mudar nossa proposta de valor para mais tarefas e atributos orientados para o ser humano –empatia, comunicação e construção de relacionamento – para garantir que os pacientes recebam o melhor atendimento possível. Se concentrarmos nossos esforços em desenvolvermos nossas melhores qualidades humanas, então, no futuro, os melhores radiologistas serão definidos não por seus olhos, mas por seus corações.”

 

Reconhecendo o momento de transformação e a oportunidade histórica singular, acreditamos que seja o momento de toda a comunidade radiológica avançar em conjunto e que todos podem se beneficiar com novas visões e novos conhecimentos.

 

Por isso, queremos convidar você a navegar nestes tempos de mudança, junto com os profissionais mais preparados e atuantes da área de Radiologia e Diagnóstico por Imagem que estarão presentes na 49ª edição do Congresso Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem,que acontecerá entre os dias 4 a 11 de Outubro de 2020, facilitando ageração de conhecimento e conexões científicas e profissionais.

 

Nós, do CBR, também estamos investindo na transformação digital e cultural dos participantes do Congresso, através de uma formação médica continuada e abrangente. Portanto, ao longo de setembro e outubro, você irá receber Artigos, Cápsulas de Vídeo e e-Books.Vamos facilitar essa virada digital e cultural para os médicos radiologistas.  

 

Convidamos você a interagir com todos esses novos conhecimentos e visões para formularmos estratégias e caminhos em conjunto,para enfrentarmos os desafios das novas texturas na Radiologia e avançarmos!

 

Um abraço,

Dr. Valdair Muglia

Diretor Científico CBR